sexta-feira, 18 de março de 2016

Flores para Louise ( Poema de Onã Silva)






Mulher-flor
Floresça o seu ser
Seja Flor Forte como a flor de cacto que resiste as durezas
Seja sempre a pétala do bem-me-quer ante as incertezas
Na guerra que a sua arma seja a flor rara da tolerância. 
Não desanima, Mulher-Flor. 
Seja como a Vitória-régia aberta para encantar
Como a flor de lótus que é sábia a ensinar
E como o girassol reluzente a brilhar.
Seja como a hortênsia para minimizar a dor das mulheres que sofreram violência
Solidarize-se, espalhando flores vermelhas e encarnadas em memória das
Mulheres assediadas, 
Mulheres desempregadas, 
Mulheres violentadas e
mulheres assassinadas.
Flores Sempre-Vivas contra a impunidade e espalhando justiça pela cidade.
Mulher-Flor, levante-se pelas Louises e Marias mil
Para espalhar lírios brancos em prol da cultura da paz
Vai, jardineira da vida... pregar a paz... falando de dores e flores,
Anda e mostra a sua natureza de mulher-flor que vem do seu interior,
Das suas raízes e da sua diversidade floral. 
Floresça nesta vida
Onde for
Planta flor
E
Colha amor
E eu, ofereço flores poéticas para a menina-flor: Louise!


*Onã Silva é doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Faculdade de Saúde da UnB, pesquisadora do Núcleo de Estudos de Promoção da Saúde (Nesprom UnB) e presidente da Academia Internacional de Poetas e Escritores de Enfermagem (Ipê)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça seu comentário abaixo: