quinta-feira, 24 de março de 2016

Vila Amaury - Lago Paranoá-Brasília DF


Essa foto (que atualmente está muito divulgada) é do fotógrafo Paulo Manhães., antes do Lago. Pelos (poucos) documentos que encontramos, a Vila chegou a ter 20 mil moradores! 
A Vila Amaury foi uma cidade provisória formada por 16 mil operários que trabalhavam nas obras dos ministérios e do Congresso Nacional. 
Quando o Rio Paranoá foi represado e o lago começou a se formar, muitos moradores se recusaram a deixar o local, acreditando que a água não chegaria até eles.

Mas, pouco tempo depois, vendo que a situação era inevitável, abandonaram a vila às pressas. Até hoje a Vila Amaury permanece intacta no fundo do Lago Paranoá. Foto: Arquivo Público do DF
Li que os moradores ganharam "lares" na cidade do Gama-DF

quarta-feira, 23 de março de 2016

sexta-feira, 18 de março de 2016

Flores para Louise ( Poema de Onã Silva)






Mulher-flor
Floresça o seu ser
Seja Flor Forte como a flor de cacto que resiste as durezas
Seja sempre a pétala do bem-me-quer ante as incertezas
Na guerra que a sua arma seja a flor rara da tolerância. 
Não desanima, Mulher-Flor. 
Seja como a Vitória-régia aberta para encantar
Como a flor de lótus que é sábia a ensinar
E como o girassol reluzente a brilhar.
Seja como a hortênsia para minimizar a dor das mulheres que sofreram violência
Solidarize-se, espalhando flores vermelhas e encarnadas em memória das
Mulheres assediadas, 
Mulheres desempregadas, 
Mulheres violentadas e
mulheres assassinadas.
Flores Sempre-Vivas contra a impunidade e espalhando justiça pela cidade.
Mulher-Flor, levante-se pelas Louises e Marias mil
Para espalhar lírios brancos em prol da cultura da paz
Vai, jardineira da vida... pregar a paz... falando de dores e flores,
Anda e mostra a sua natureza de mulher-flor que vem do seu interior,
Das suas raízes e da sua diversidade floral. 
Floresça nesta vida
Onde for
Planta flor
E
Colha amor
E eu, ofereço flores poéticas para a menina-flor: Louise!


*Onã Silva é doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Faculdade de Saúde da UnB, pesquisadora do Núcleo de Estudos de Promoção da Saúde (Nesprom UnB) e presidente da Academia Internacional de Poetas e Escritores de Enfermagem (Ipê)


quarta-feira, 16 de março de 2016

Brasília- Sou Brasília



 Muito linda essa cidade!!! Com sol ou com chuva...é uma 

das maravilhas do mundo!!!



terça-feira, 15 de março de 2016

domingo, 13 de março de 2016

Manifestações pelo Brasil



Bom dia a todos. Bom dia aos apoiadores do governo.Bom dia aos que estão lutando para derrubar o governo. Todos, igualmente, são dignos de meu respeito porque cada um de nós tem o direito de defender o que acredita ser o certo. Sem ódio.A paz só é conquistada pela inteligência e pela sabedoria.Agressão não leva ninguém à vitória-em nenhum campo da vida.


Rosa Maria Olímpio

Brasília,13 de março de 2016

sábado, 12 de março de 2016

sexta-feira, 11 de março de 2016

quinta-feira, 10 de março de 2016

terça-feira, 8 de março de 2016

Dia Internacional da MULHER!


O dia de hoje é dedicado a nós mulheres. Um dia especial para homenagear o amor, a sensibilidade e a fortaleza desse ser especial que vai reinar nos outros 365 dias desse 2016.

Sinta-se abraçada.Você que luta diariamente por seu lugar ao sol, que é dona de casa, mãe, esposa, estudante, trabalhadora, que apesar dos pesares, mantém no rosto um sorriso e a alegria de ser mulher.






Feliz dia internacional da mulher

DIA INTERNACIONAL DA MULHER E A ASTROLOGIA - Encontros Astrológicos

FELIZ DIA INTERNACIONAL DA MULHER LANÇAMENTO MARÇO DE 2016

Toda Mulher Faz Seu Futura: Rachel | Dia Internacional da Mulher

domingo, 6 de março de 2016

Primeiro Mandamento



Importante lembrar a cada manhã o primeiro mandamento de Jesus:

AMARÁS  O SENHOR, TEU DEUS, DE

TODO O TEU CORAÇÃO, DE TODA A

TUA ALMA E DE TODO O ENTENDIMENTO E O PRÓXIMO COMO A TI MESMO.


Para amar Deus é preciso conhecer Deus. Porque trata de um amor que nasce do meu entendimento. Depende da forma como eu aprendi a conhecer Deus.
Para amar o próximo como a mim mesma-eu preciso-antes-aprender a me amar.
Como foi difícil exercitar esse amor por mim mesma.
Primeiro tive que aprender a não pensar mal do outro, não falar do outro e não fazer ao outro nada daquilo que não gostaria que alguém fizesse a mim.
Parece ridículo afirmar que “não vou pensar mal de alguém-assim como não quero que pensem mal de mim”.
Não é ridículo. É um exercício de caridade e de amor. Pensar mal do outro é julgar o outro, é criticar as atitudes do outro como erradas.
Aprendi que se eu vivo odiando o outro, na verdade estou odiando a mim mesma.
Por outro lado quando aprendi a me amar parei de julgar e de condenar as pessoas.
Aprendi a amá-las exatamente como elas são com todos os seus “defeitos”, porque é exatamente assim que eu me amo. Tenho um milhão de defeitos. Porém, não vou me condenar. O melhor a fazer, por mim mesma, é buscar conhecer meus defeitos e, corrigi-los a cada dia.
Não sou dona da verdade. Por isso, a verdade do outro há de ser respeitada.
E foi me amando que aprendi a não deixar que ninguém mais me faça infeliz, que ninguém mais me humilhe, me coloque para baixo.
Quando eu não me amava era amarga, irritada, aborrecida, grossa.
Vivia mal humorada e criticava a tudo e a todos. Não sabia esperar o momento de ser atendida em qualquer lugar que chegasse e não me preocupava em disfarçar minha irritação e destilava palavras e olhares raivosos para todos e, para todos os lados. E depois me sentia injustiçada e me queixava de que ninguém me amava. Até que um dia me perguntei: Você amaria uma pessoa assim?   compreendi, então, que eu não me amava.





Vazio Contemporâneo e Espiritualidade ● Leandro Karnal ● Palestra

Leandro Karnal sobre Bolsonaro.

quinta-feira, 3 de março de 2016

Violência emocional





Violência emocional: é toda ação, atitude ou palavra que humilha, rebaixa ou machuca as emoções ou a autoestima de uma pessoa. Ao contrário da violência física, que geralmente envolve uma descarga agressiva sobre a vítima, a violência emocional não necessariamente requer ações violentas. Uma pessoa pode humilhar outra, rebaixá-la e fazer que ela se sinta mal com palavras, ações ou atitudes suaves, de duplo sentido, sarcásticas e até que pareçam carinhosas.

Algumas formas de violência emocional são:

1. Abuso verbal: ridicularização, desprezos e insultos como estratégia consciente ou inconsciente para rebaixar a autoestima da vítima.

2. Isolamento: negar a palavra a uma pessoa, ignorá-la; não levá-la em consideração em nenhum momento.

3. Intimidação e ameaças: ameaças de morte se a pessoa contar, ameaçar tirar os filhos dela, bater nela etc.

4. Colocar a culpa na vítima: o abusador coloca na vítima a culpa pelo seu mau caráter, seus impulsos violentos, seus problemas, suas desilusões, seus fracassos e até dos golpes e abusos que recebe.

5. Abuso econômico: em muitos casos, a vítima não trabalha e, quando o faz, precisa entregar seu salário ao abusador, que controla tudo o relacionado ao dinheiro no lar. Ele (ou ela) toma todas as decisões sem prestar contas com o cônjuge sobre o uso que faz do dinheiro.

6. Utilização dos filhos: usar os filhos para fazer que a outra pessoa se sinta culpada. Convencer os filhos de que seu cônjuge está mal, colocando-os contra ele. Isso faz o cônjuge se sentir culpado e responsável pela criação e educação dos filhos. Se os filhos se comportam mal, a culpa é do cônjuge, por exemplo.

Obs: 85% a 90% da violência física se da de homens contra mulheres, mas há também uma porcentagem de 10 a 15% que se dá de mulheres contra homens. Já a violência emocional se da 95% dos homens contra as mulheres, e 5% de mulheres contra homens

Autoestima. Flora Caldas.