sexta-feira, 3 de julho de 2015

Redução da maioridade penal III : excluir-os que já estão excluídos e vivem à margem.





Latuff Cartoons



Não queria mais falar sobre esse assunto-tamanha minha indignação. Mas eu não posso me calar ao ouvir e ler depoimentos de professores a favor da redução da maioridade penal.

Nós professores sabemos que há que se investir nos profissionais da educação para que as mudanças necessárias e urgentes se efetivem.Mas ser a favor da redução é de fato, não crer mais no poder de transformação que tão somente a sabedoria e o amor podem promover-Prender é marginalizar e excluir-os que já estão excluídos e vivem à margem.


Daí abro o facebook e leio o emocionado  depoimento de uma amiga professora-da UFVJM (Universidade Federal do vale Jequitinhonha e Mucuri) Diamantina MG-que aqui transcrevo: 



"
Ludmilla Farnezi Há pouco tempo, Rosa Maria Olimpio, uma moça escreveu uma mensagem de agradecimento para mim. Segundo ela, eu havia proposto uma redação para que a sua turma, na época, uma quinta série, registrasse seus sonhos no papel: o que eles desejavam ser no futuro. Ela vivia numa localidade de remanescentes de quilombolas, que tinha sérios problemas de drogas e gravidez na adolescência, e estudava numa escola municipal, sem uma estrutura mínima para trabalharmos com dignidade. Tínhamos que ser criativos. E éramos um grupo pequeno de professores, muito comprometidos, por sorte. Materiais necessários saíam do nosso então reduzido salário. Enfim, a própria realidade das crianças já era um empecilho aos sonhos, por todas as dificuldades comuns que elas enfrentavam. Segundo essa moça, ela redigiu que seu sonho era ser Enfermeira e que havia conquistado sua vaga na UFVJM. Estava muito feliz e queria agradecer por eu ter despertado nela esse desejo, e ter reforçado que ele seria possível. Eu me emocionei demais com este relato, já não recordava os detalhes, mas reconheci que as sementes plantadas por educadores podem demorar um pouco para germinar, mas quando isso acontece é MARAVILHOSO. Compensam todos os desafios encontrados. As pequenas ações cotidianas do professor podem repercutir na vida dos educandos de uma maneira muito singular e muito positiva também. Por essa razão é que um educador não pode duvidar de seu poder transformador. Nunca!"


São esses relatos que confirmam nossa crença no poder da educação. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça seu comentário abaixo: