sábado, 4 de julho de 2015

Waldo Vieira


Passarinhar


Assim os dias eram vividos, alimentando-se no repositório de amor deixado por você. 

As pequenas tristezas, as grandes alegrias, o otimismo como ferramenta primeira, o entusiasmo como motor da vida. A visão imemorial do voo curto de passarinho contente em ver o céu da copa de uma árvore e passarinhar pelas flores do jardim, aninhar-se em galho próximo à cachoeira e refrescar-se enquanto os olhos se perdem na queda d'água. 
Assim é o tempo dos passarinhos! Saudade é o amor que fica. Você é o amor que brota.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça seu comentário abaixo: