quinta-feira, 2 de abril de 2015

Professor Ricardo Neder INTERDISCIPLINARIDADE

OPINIÃO - 01/04/2015


Por que precisamos da abordagem dos estudos CTS (Ciência, Tecnologia e Sociedade)? 4/4

Ricardo Neder


Ampliar as oportunidades de acesso ao direito à ciência & tecnologia hoje exige acelerarmos as práticas da interdisciplinaridade em todas as áreas de conhecimento? Esta é a conclusão de variados seminários nacionais e internacionais organizados pela Área Interdisciplinar da CAPES com a universidades brasileiras e estrangeiras convidadas. Embora não concorde com todas as premissas que levam a esta conclusão, ela certamente é a principal que vale a pena destacar.
Tais práticas são, ao mesmo tempo, política cognitiva dos pesquisadore/as e docentes na universidade diante de campos de aplicação com um vasto horizonte de oportunidades para nossas intervenções. É o meio de cultura apropriado para provocarmos a expansão da universidade junto e com as organizações comunitárias e societais, governos locais e regionais.     
Para isto, será preciso sair da zona de conforto do pesquisador tradicional e, juntos, conduzir um esforço (coletivo e individual) de contextualização sociocultural da produção dos conhecimentos científicos que se misturam com o saber-fazer das comunidades. Via de regra, é mais fácil fazer discurso sobre interdisciplinaridade do que praticá-la.
Neste quarto e último artigo da série, analiso porque precisamos dos Estudos Sociais da Ciência e da Tecnologia particularmente sob a forma de adoção de programas interdisciplinares como condição para levar adiante a compreensão das contradições, vantagens e desvantagens de sua prática em várias áreas de conhecimento.
Por que precisamos dos Estudos CTS para formar docentes, pesquisadores, gestores e técnicos de políticas de ciência, tecnologia & sociedade? A primeira resposta é porque assim estaremos contribuindo para um esforço coletivo da universidade pública brasileira em promover a democratização das vagas do ensino público de forma qualitativamente diferenciada. Como?
A respostas é dada pelos aportes teóricos e empíricos das pesquisas no campo interdisciplinar dos Estudos CTS e pelo seu crescimento nos últimos 25 anos. Eles reúnem, hoje, centenas de pesquisadores em projetos, grupos, redes de cooperação, associações científicas de diversas áreas (Ciências Sociais, Humanas, Exatas, Naturais e Tecnológicas). Estão presentes no Brasil, América Latina, América do Norte e Europa Ocidental, com participação importante dos colegas asiáticos. Suas associações científicas levam o acrônimo ESOCITE (América Latina: Sociedad de Estudios Sociales de Ciencia y Tecnología ).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça seu comentário abaixo: