quinta-feira, 30 de abril de 2015

LETRAS/UnB Excelência

EXCELÊNCIA - 30/04/2015

Isa Lima/UnB Agência
 
Licenciatura em Português recebe nota 5 em avaliação do MEC

Curso noturno é a quarta habilitação do Instituto de Letras a conquistar nota máxima da comissão do Inep
Pedro Paulo Ramos - Da Secretaria de Comunicação da UnB

O curso noturno de licenciatura em Língua Portuguesa e Respectiva Literatura, oferecido pelo Instituto de Letras da Universidade de Brasília (IL/UnB), recebeu nota máxima em avaliação do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, do Ministério da Educação (Inep/MEC).
Entre as seis habilitações já avaliadas no Instituto de Letras, esta é a quarta nota máxima. Recentemente, os cursos de bacharelado e licenciatura em Letras Inglês e licenciatura em Língua Portuguesa e Respectiva Literatura diurno receberam nota 5 do MEC.
A análise técnica foi realizada nos dias 9 e 10 de abril. O curso recebeu nota máxima em todos os parâmetros presentes no relatório: organização didático-pedagógica, corpo docente e tutorial, e infraestrutura, conforme os requisitos legais e normativos e as diretrizes curriculares para o curso de Letras.
Para o diretor do Instituto de Letras da UnB, Enrique Huelva Unternbäumen, os resultados obtidos colaboram para o reconhecimento da qualidade do ensino e são frutos de muito trabalho e esforço. “É resultado do bom desempenho de todos os envolvidos: docentes, discentes e corpo técnico, além da preocupação de sempre incluir uma autocrítica em nossas ações, buscando sempre melhorar”, ressalta Huelva.
Segundo a vice-diretora do Instituto de Letras, Rozana Naves, a licenciatura em Português trouxe inovações relativas às disciplinas chamadas Laboratórios de Ensino, voltadas a prática docente e participa de programas como o Pibid e o Prodocência.
Isa Lima/UnB Agência
Diretor e vice-diretora do Instuto de Letras
Houve também a ampliação da carga horária de estágio supervisionado. Há ainda projetos voltados para professores, com o objetivo de incentivar a formação continuada, com cursos de especialização oferecidos em parceria com a Secretaria de Educação do DF.
Rozana afirma que o IL passará por mudanças em breve. Haverá alteração na grade curricular de alguns cursos, construção de espaços laboratoriais e implantação de projeto, ainda em sistematização, de atividades específicas voltadas à prática profissional.
O Instituto de Letras foi criado em 1962, é composto por três Departamentos: Departamento de Linguística, Português e Línguas Clássicas (LIP), Departamento de Teoria Literária e Literatura (TEL) e Departamento de Línguas Estrangeiras e Tradução (LET), e oferta atualmente 16 habilitações. O curso de Letras Português é um dos mais antigos, criado no mesmo ano do Instituto. A habilitação noturna de licenciatura em Língua Portuguesa e Respectiva Literatura foi criada em 1995.
Todos os textos e fotos podem ser utilizados e reproduzidos desde que a fonte seja citada. Textos: UnB Agência. Fotos: nome do fotógrafo/UnB Agência.

Todos os dias deveriam ser de Educação

Todos os dias deveriam ser de Educação
Célio da Cunha








Ao ensejo das comemorações de mais um Dia Internacional de Educação, a primeira ideia que me ocorre é a de que todos os dias deveriam ser de educação. E porque isso? Como certa vez afirmou o historiador Arnold Toynbee, esta é a primeira geração, desde o início da história, na qual a humanidade ousa acreditar na possibilidade de colocar os benefícios da civilização ao alcance de todas as pessoas.
Porém, ao mesmo tempo em que é possível imaginar essa utopia, constata-se a primazia de um modelo de desenvolvimento que gera e amplia a exclusão. Um modelo de desenvolvimento que separa o mundo em “duas humanidades” para usar a oportuna expressão de Souza Martins. Por um lado, uma humanidade constituída de integrados; por outro, uma sub-humanidade, penalizada por insuficiências e privações. As pessoas dessa sub-humanidade, continua Martins, são tratadas como cidadãos de segunda classe e para eles a justiça não existe.
É diante desse quadro que sobressai a importância da educação, não somente para ser comemorada numa data específica, mas que se faça presente todos os dias em todos os lugares e situações, seja por intermédio de processos formais, com o também pelas vias não formais e informais.
Nesse sentido, procede a proposta de Brasil Pátria Educadora, como um lema sem fronteiras que possa gradativamente tornar-se lugar comum para na vida das  pessoas e instituições, sobretudo as instituições públicas que tem o dever ético e moral  de serem exemplos de atuação em prol do bem coletivo.
Bons exemplos, nos planos individual e público continuam a ser instrumentos valiosos para a formação de mentes lúcidas, tão necessárias para a construção de cenários mais justos de equitativos.
Por esse caminho, os dois mundos da humanidade incluída e excluída poderão reduzir as barreiras que os separam, cabendo a educação em sentido amplo e pelas vias regulares e formais, preparar uma nova geração dotada de ideais éticos e morais para enfrentar os desafios do nosso tempo, destacando-se entre eles o imperativo da luta por modelos de desenvolvimento inclusivos que sejam reconhecidos e tenham credibilidade em todos os segmentos sociais.
Desse cenário derivam a relevância das políticas de estado. Só o Estado tem condições de reduzir as desigualdades e derrubar o muro que separam as duas humanidades. A educação pode ajudar, mas por si só ela não opera milagres. Os milagres dependem de uma visão sistêmica do desenvolvimento.
Desse modo, no Dia Internacional da Educação, importa chamar a atenção para o fato de que uma educação de boa qualidade para todos depende de uma visão integrada dos vários “brasis”.  Como salientou o sociólogo argentino Juan Carlos Tedesco, a equidade é um fenômeno sistêmico. A educação não poderá promover a equidade, se o restante das variáveis promoverem a iniquidade.
Portanto, é preciso inverter a equação e não somente pensar a educação como um fator de equidade, como também colocar em discussão qual o mínimo de equidade necessária para que haja educação de boa qualidade.
Todavia, mesmo que a educação por si só não possa produzir milagres, ela pode contribuir para o fortalecimento da luta contra as desigualdades e assimetrias. Seu efeito redistributivo não é desprezível. Ela pode contribuir para a instauração de um clima de renovação, tornando-se imperativo nessa direção que todos os ocupam postos de responsabilidade na área da educação coloquem em suas agendas diárias a prioridade da educação e, por conseguinte, a prioridade das metas previstas pelo Plano Nacional de Educação.

Comunidade Mia Couto REPUDIA a violência havida ontem contra os professores de Curitiba-Paraná-Brasil.

A Comunidade Mia Couto vem, publicamente, REPUDIAR a violência havida ontem contra os professores de Curitiba-Paraná-Brasil.

Parabéns e força aos nossos mestres: arautos anônimos da resiliência do mundo. 

Nara Rúbia Ribeiro 

Ficou perfeita a tirinha do Armandinho.



Educação vs Transformação | Erico Rocha



A educação possibilita a transformação de crianças e jovens. Não há verdadeiros educadores que não sejam transformadores. Contudo, em seu vídeo você usou um termo "ensinador". O ensinador, ou professor, ou adestrador, se preocupa em criar repetidores cegos ou diplomados. O educador/transformador não apenas ensina o que sabe como ainda incentiva o aprendiz a extrapolar aquilo que, de fato, aprendeu.


Maria Bethânia - "Tocando Em Frente"


Publicado em 13 de nov de 2014
"Tocando Em Frente" - Maria Bethânia

(composição do cantor e ator Almir Sater em parceria com Renato Teixeira)

"Ando devagar
Porque já tive pressa
E levo esse sorriso
Porque já chorei demais
Hoje me sinto mais forte
Mais feliz, quem sabe
Só levo a certeza
De que muito pouco sei
Ou nada sei
Conhecer as manhas
E as manhãs
O sabor das massas
E das maçãs
É preciso amor
Pra poder pulsar
É preciso paz pra poder sorrir
É preciso a chuva para florir
Penso que cumprir a vida
Seja simplesmente
Compreender a marcha
E ir tocando em frente
Como um velho boiadeiro
Levando a boiada
Eu vou tocando os dias
Pela longa estrada, eu vou
Estrada eu sou
Conhecer as manhas
E as manhãs
O sabor das massas
E das maçãs
É preciso amor
Pra poder pulsar
É preciso paz pra poder sorrir
É preciso a chuva para florir
Todo mundo ama um dia
Todo mundo chora
Um dia a gente chega
E no outro vai embora
Cada um de nós compõe a sua história
Cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz
E ser feliz
Conhecer as manhas
E as manhãs
O sabor das massas
E das maçãs
É preciso amor
Pra poder pulsar
É preciso paz pra poder sorrir
É preciso a chuva para florir
Ando devagar
Porque já tive pressa
E levo esse sorriso
Porque já chorei demais
Cada um de nós compõe a sua história
Cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz
E ser feliz"









Professores agredidos ao reivindicarem seus direitos.

Queridos amigos professores,parentes e conhecidos  desejo força e determinação! Que nada apague o dom que  temos de formar cidadãos de bem, apesar de não termos o reconhecimento que merecemos. Não deixemos de acreditar no poder da Educação.


Truculência da polícia  deixa 200 servidores feridos.


Em Curitiba, mais de cem pessoas ficaram feridas em cerca de uma hora e meia de repressão da polícia do governador tucano Beto Richa a servidores que protestam desde o início da semana contra um projeto de lei que altera as regras de custeio da Paraná Previdência, no Centro Cívico, em frente à Assembleia Legislativa. O projeto promove perdas em direitos previdenciários do funcionalismo a pretexto de socorrer as finanças do estado. Os professores, em greve, estão acampados desde segunda-feira (27) no local.
Ambulâncias tiveram dificuldade de se aproximar para socorrer os feridos, uma vez que a Tropa de Choque da Polícia Militar fez um cordão para isolar o prédio da Assembleia e lançou bombas de gás lacrimogêneo, de efeito moral e jatos de água.
Havia entre os feridos, que chegaram a 200 pessoas, idosos, crianças e deficientes. Uma senhora que se apoiava nas grades do prédio da Assembleia foi alvejada à queima-roupa por um disparo de bala de borracha no meio das costas enquanto a polícia avançava contra os manifestantes.
O deputado Rasca Rodrigues (PV) e um repórter foram mordidos por um cachorro da PM. Entre as forças de repressão, 25 soldados intoxicaram-se com o gás lacrimogêneo lançado por seus colegas.
O governo Richa é acusado pela oposição, que tenta protelar a votação, de promover ação "truculenta", ao enviar policiais militares para cercar a Assembleia Legislativa. “São trabalhadores organizados fazendo uma mobilização não para conquistar direitos, mas para não perdê-los. O governo não tem diálogo nenhum com o setor público e ainda por cima manda colocar a polícia", disse o deputado federal Enio Verri (PT-PR).
Os feridos procuraram refúgio na prefeitura de Curitiba. “Parece uma praça de guerra”, publicou no Twitter o prefeito Gustavo Fruet (PDT). No prédio do Executivo municipal, a menos de 100 metros da Assembleia, servidores foram obrigados a deixar seus postos de trabalho por causa do gás lacrimogêneo. A todo tempo servidores apelavam para que a polícia parasse de atirar. “Os professores estão sendo massacrados”, denunciou o presidente do sindicato da categoria, Hermes Leão.
A maioria dos deputados deixou o plenário, mas o presidente da Casa, Ademar Traiano (PSDB), recusou-se a parar a sessão, que já tem os votos favoráveis de 31 dos 54 deputados estaduais.
Enquanto deputados governistas falavam na ação de supostos black blocs, o deputado Nereu Ramos (PMDB) ironizou: "São black blocs armados de giz e avental". O também peemedebista Requião Filho foi mais realista: "Nós, como poder, deveríamos nos envergonhar do que aconteceu aqui hoje".
Pouco antes do início da sessão, os senadores Roberto Requião (PMDB) e Gleisi Hoffmann (PT) reuniram-se com lideres do governo e da oposição para pedir que os deputados esperassem ao menos um parecer do Ministério da Previdência solicitado pelo próprio governador antes de seguirem com a votação, o que não demoraria mais do que alguns dias.

quarta-feira, 29 de abril de 2015

Anjo de Mim (Ivan Lins e Vitor Martins) - Ivan Lins - Live at MCG

Andrea Bocelli: "Dell'amore non si sa"

CHINA- Uma lição de amor.

Menino carrega amigo deficiente nas costas todos os dias para que ele possa estudar


Por  | Yahoo Notícias – ter, 28 de abril.
ReproduçãoReprodução


Todos os dias letivos durante os últimos três anos foram marcantes para o chinês Xie Xu, de 18 anos. Em todos esses dias ele carregou em suas costas Zhang Chi, de 19 anos, amigo que sofre de distrofia muscular. A carona nas costas do colega era a única forma que Chi tinha de ir para a escola e continuar estudando.

A dedicação do amigo tem dado resultado: ao lado de Xu, Chi é o melhor aluno da classe e um dos mais dedicados. Diariamente os amigos fazem seis viagens iguais. De casa para a escola, nos intervalos, mudança de salas e, por fim, no caminho de volta para casa.

Em todos os momentos no colégio os dois estão juntos. A relação emociona colegas de classe e professores e, por isso, foi parar na internet. Prestes a concluir o colégio, os dois devem se separar na faculdade. Mas, dificilmente, irão esquecer dessa prova de amizades que atravessou os anos.

Taça da Amargura


Para descontrair. Enquanto se vive. A vida passa.

USP- 8 a 10/09 (SIGET)

http://siget2015.fflch.usp.br




VIII Simpósio Internacional de Estudos de Gêneros
(SIGET) – USP- 8 a 10/09
Diálogos no estudo de gêneros textuais/discursivos:
uma escola brasileira


Editora UnB ganha nova livraria

Secom UnB

INAUGURAÇÃO - 28/04/2015

Isa Lima/UnB Agência
 
Editora UnB ganha nova livraria
Situada na 406 Norte, loja será aberta com o lançamento coletivo de mais de 60 obras incluindo livros publicados por editais da Finatec

Ana Beatriz Machado - Da Secretaria de Comunicação da UnB



 Tamanho do Texto

Será inaugurada no dia 30 de abril uma nova livraria da Editora UnB (EDU). Para marcar a abertura do espaço, localizado na 406 Norte, haverá o lançamento de uma série de livros que foram publicados entre 2014 e 2015.
Na ocasião, serão apresentados mais de 60 livros. Entre eles, publicações novas, reimpressões e reedições. Os autores de algumas obras estarão presentes e haverá um coquetel para convidados.
A EDU já possui uma livraria no Centro de Vivência, no Campus Darcy Ribeiro, e uma loja virtual no endereçohttp://www.editora.unb.br/.

Oswaldo Montenegro: DVD "3x4" COMPLETO (EXCLUSIVO)







Compositor e cantor sem igual. A diferença entre Oswaldo e outros cantores que gosto é que ele se doa totalmente quando toca as suas canções. Você percebe que a canção sai com uma alma, ela não é cantada puramente, existe uma energia dissipada que contamina todos ao redor. E a flauta de Madalena então, completa toda a magia do momento. Somos gratos por essa parceria sempre continuar independentemente de qualquer desvio na vida de ambos.Oswaldo Montenegro não faz show, faz terapia da felicidade. 


Tarcísio Oliveira


Mia Couto


Há mulheres que querem que o seu homem seja o sol. O meu quero-o nuvem. Há mulheres que falam na voz do seu homem. O meu que seja calado, e eu, nele, guarde meus silêncios.
Mia Couto
No livro "O fio das missangas"

terça-feira, 28 de abril de 2015

Oswaldo Montenegro - "Me ensina a escrever" - Música do show 3x4



"Meu amor me ensina a escrever  A folha em branco me assusta Eu quero inventar dicionários Palavras que possam tecer A rede em que você descansa E os sonhos que você tiver" 



Publicado em 2 de abr de 2014
Música do show "3x4".
Direção do vídeo: Eduardo Galeno


Livro, leitor, escola: mundos (ainda)desencontrados

Livro, leitor, escola: mundos (ainda)desencontrados
*Robson Coelho Tinoco



Parte dos professores têm o hábito, também institucionalizado por um ensino ainda bastante voltado a questões imediatistas, de “cobrarem” leituras em geral que até podem ser originais mas que sejam, sobretudo, compreensivas, indo na esteira de alguns modelos atuais de ensino de leitura literária: leem-se mais críticas e teorias históricas do que propriamente as obras. Avaliam, todavia, a questão da originalidade de leitura quase sempre vinculada a uma limitação imposta, formalmente, por questões de mera gramaticalidade textual: texto bom é aquele que se entende (entendimento = respeito às normas discursivo-gramaticais: paragrafação, clichês literários, compreensão coerente etc.).
O que se propõe como boa, moderna (e produtiva) leitura é ler o mundo na obra escrita; ler as marcas de um sujeito-autor que faz de seu mundo artístico um objeto de existência e comunicação. Sujeito que está no mundo e se faz de transformador-sujeito-transformado em fonte viva de acumulação de suas próprias experiências de vida em relação às das outras pessoas. Antonio Candido (2006), Mikhail Bakhtin (2003) e Hans Robert Jauss (1994), dentre outros estudiosos, nas bases de suas teorias e sob seus focos de interesse, tratam dessa questão primordialmente: ler para se perceber enquanto indivíduo social.
Apreender a essência de uma mensagem qualquer, seja em uma leitura atenta do complexo Ulysses, de James Joyce ou do Grande sertão: veredas, de Guimarães Rosa, tanto quanto na leitura de informações intencionalmente implícitas de um texto publicitário ou de um bilhete, repleto de gírias e linguagem informal sempre requer, mesmo pouca ou muita, uma atitude educacional reflexiva. Na contemporaneidade informacional, positiva e negativamente, essa atitude se amplia frente ao computador, dadas suas possibilidades de navegação por redes informacionais articuladas, disponíveis nas casas, nas escolas, em boas bibliotecas ou lan-houses dos centros e periferias das grandes e mesmo pequenas cidades.    
Reflexão pode ser um tipo de compreensão e quanto a atividades de leitura, “não basta decodificar as representações indiciadas por sinais e signos; o leitor porta-se diante do texto transformando-o e transformando-se” (SILVA, 1992, p. 44). Assim, refletir sobre uma leitura que se faz, percebendo sua coerência e que sob ela estão as raízes produtoras da mensagem essencial do autor, é compreendê-la além da simples representação verbal de um texto escrito. É perceber esses três propósitos da leitura como os fundamentos de uma produtiva reflexão: compreender a mensagem, compreender-se nela e se compreender por ela. (idem, p. 45)
Nesse processo educacional de leitura produtiva – reaplicação contemporânea do sentido freireano de “ler a palavra carregada de mundo” –, a informação subjetiva gera uma informação mais objetiva que, analisada e compreendida, promove aberturas para uma nova análise subjetiva e assim sucessivamente. Isso se dá em um contexto atual em que a cultura cibernética, por causa de sua característica disciplinar e especializada, separa e compartimenta os saberes, o que torna cada vez mais difícil a inclusão desses num contexto determinado. (MORIN, 2002).
Quanto à questão sobre hábitos de leitura, note-se que os brasileiros, se comparados, p. ex., a franceses (média de 7, 8 livros ao ano) e argentinos (média de 3, 4 livros ao ano) liam pouco – segundo dados de pesquisa realizada  (por volta de 1 a 2 livros ao ano). Todavia, de acordo com pesquisa recente , os brasileiros leem, em média, 4,7 livros por ano e, em algumas regiões, o número é ainda maior, como é o caso do Sul, onde se apurou que são lidos 5,5 livros por habitante ao ano. No Sudeste o número foi de 4,9; no Centro-Oeste, 4,5; no Nordeste, 4,2 e no Norte, 3,9. A pesquisa confirmou, também, que as mulheres leem mais que os homens: 5,3 contra 4,1 livros por ano.
Destaque-se que há uma série de fatores que concorrem para tal hábito de leitura como o número de bibliotecas e livrarias à disposição da população . É importante observar, ainda, que a diminuição da prática da leitura é uma questão mundial e, quanto a isso, há dados referentes ao hábito de leitura dos norte-americanos que dão conta de que, ano a ano, baixa o índice de leitura de obras clássicas, o que também se percebe na Inglaterra. Lembre-se que já em fins do século XIX, Machado de Assis observava, em sua coluna de jornal, que lhe espantava como os “brasileiros liam pouco”. (BOSI et alli, 1992)

Sobre o autor:

Robson Coelho Tinoco é professor do Instituto de Letras, da UnB. Graduado em Letras (Português - Inglês) pela Faculdade Salesianas de Filosofia, Ciências e Letras de Lorena, mestre em Língua Portuguesa - Metodologias de leitura/PUC-SP, doutor em Literatura Brasileira - Poesia e Sociedade/UnB. Possui Pós-doutorado em Língua Portuguesa - Práticas de leitura e ensino de literatura no ensino fundamental e médio e em Educação - Ensino e práticas de leitura em ambiente prisional, ambos pela PUC-SP. Atua nos temas Literatura Brasileira, literatura e outras áreas (música e poesia; literatura e educação), Língua Portuguesa. Seus estudos são em linguagens contemporâneas/práticas de leitura aplicada ao ensino fundamental, médio e superior e ensino e leitura dialógica - linguagens poéticas e musicais.

Osvaldo Montenegro- porta da Alegria

Hoje eu sei que fiz as coisas do meu jeito
Não há o que consertar

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Andrea Bocelli: "Se la gente usasse il cuore"

Mãe e filho


Elizabeth Adela Stanhope Forbes (1859-1912) 

Mother and child 

Acquerello e carboncino su carta, 27 x 22 
Bloomsbury London


Brasília dá um show de beleza.

E não é só durante o dia que o céu de Brasília dá um show de beleza.
Veja a foto original na página do fotógrafo Reginaldo Marinho.http://guiabsb.com.br/inq

TECER TEXTOS: Fios e Desafios

TECER TEXTOS: Fios e Desafios

Debate dos Candidatos à Reitoria da UFVJM

Cuba alcança objetivos da UNESCO

http://www.portalmetropole.com/2015/04/so-cuba-atinge-objetivos-globais-de.html?m=1



Cuba é o único país da América Latina e Caribe a alcançar todos os objetivos mensuráveis de educação, segundo relatório da UNESCO

Por Redação

É o que aponta o Relatório de Monitoramento Global de Educação para Todos 2015, da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura).
O documento se baseia no marco de ação proposto, em 2000, no Fórum Mundial de Educação em Dakar. Lá, governos de 164 países se comprometeram com objetivos como cuidados na primeira infância, educação primária universal, alfabetização de adultos e paridade e igualdade de gênero. O desempenho dessas nações foi monitorado quase anualmente.
Apenas metade dos países do mundo e da América Latina alcançou o objetivo de acesso universal à educação primária. Equador, Chile, Peru e México foram os únicos da região a passarem a taxa de 80% das crianças matriculadas na educação pré-primária.
Para a Unesco, o Brasil teve progressos significativos na ampliação do acesso de pessoas pobres à educação por causa da política de transferência de renda dos últimos anos. Foi notado, ainda, uma redução substancial na diferença da qualidade da educação nas áreas urbanas e rurais no país, e também na Argentina, na Costa Rica e no Uruguai.
O documento estipula ainda objetivos até 2030. Entre eles, estão a universalização da educação pré-primária, primária e do primeiro nível da educação secundária e expansão da aprendizagem de adultos.

domingo, 26 de abril de 2015

TECER TEXTOS: Fios e Desafios

TECER TEXTOS: Fios e Desafios

Meninas Cantoras de Petrópolis - Deixa Eu Dizer Que Te Amo




A experiência que já ultrapassa ¼ de século somada à maneira inovadora de suas interpretações musicais faz deste singularíssimo conjunto de meninas um autentico ponto de referência de outros similares, tendo motivado no Brasil e até mesmo além de suas fronteiras, o surgimento de novos grupos que encontram nas Meninas Cantoras de Petrópolis uma fonte de inspiração.

Tecer Textos: Fios e Desafios

Tecer textos é desafio a que somos, muitas das vezes, impostos a fazer. Daí a recusa em escrever.
Contudo, quando há a real necessidade de se produzir um texto vamos buscar recursos para realizar esta tarefa com competência e com objetividade.
Vamos entendendo...



Em uma primeira instância, reportamo-nos à ideia de que todo discurso tem um fim em si mesmo, ou seja, perfaz-se de uma intenção que se caracteriza de acordo com os objetivos que se deseja alcançar com a mensagem ora transmitida. Intenções essas materializadas sob a forma de um texto informativo, instrutivo, persuasivo, humorístico, didático, dentre outros. Desta feita, torna-se imprescindível que o emissor parta deste princípio: o que se busca mediante o trabalho com a linguagem?

Tais pressupostos tendem a se reafirmar quando comparados à fala de José Saramago: As palavras são apenas pedras a atravessar a corrente de um rio, se estão ali é para que possamos chegar à outra margem, a outra margem é o que importa. 
Numa transcrição do metafórico para o sentido real, temos que “as pedras” que atravessam a corrente de um rio nada mais são que o acervo lexical que a língua nos proporciona e este acervo vai se incorporando ao nosso vocabulário à proporção que desenvolvemos o hábito de leitura. Mas elas não são suficientes para chegarmos “à outra margem do rio”, pois neste ínterim também estão correlacionados dois outros fatores de considerável relevância – os conhecimentos linguísticos (gramaticais) e o próprio conhecimento de mundo –, sendo que este último envolve o condicionante social, haja vista que para discorrermos acerca de um determinado assunto, temos que, necessariamente, elencar os argumentos que a ele faz referência. 

Quando o autor nos revela que o foco principal é a “outra margem”, visto que somente ela é o que na verdade importa, essa margem nada mais é do que o texto propriamente dito. Mas quais os caminhos para se chegar a esse destino? Será o texto um emaranhado de ideias nas quais palavras se fundem formando um todo desconexo? Certamente que estamos convictos da não veracidade desta prerrogativa.

Um texto se constrói a partir da combinação perfeita entre as palavras, consequentemente dispostas em frases, períodos subsequentes e, por fim, manifestadas em parágrafos formados por um todo coeso, claro e coerente. Outro aspecto que aqui se evidencia é o fato de que constantemente o emissor precisa fazer uma releitura de sua produção, pois, no momento em que está redigindo não se atém para possíveis falhas que porventura incidam diretamente na qualidade da mensagem. Ao realizar tal procedimento, ele poderá acrescentar e/ou suprimir elementos, contribuindo assim para o aprimoramento da performance discursiva.

O Causo do Dia | 01

Richard Clayderman

sábado, 25 de abril de 2015

Redes Sociais na Educação, Interdisciplinaridade e Avaliação 360º






Publicado em 5 de mar de 2015
Na busca de uma educação contemporânea, moderna e comprometida com a educação que queremos para o século XXI, Professor Dr. Milton Antonio Zaro, discute em sua disciplina História da Ciência, que metodologias e tecnologias deveriam ser utilizadas para promover uma aprendizagem significativa.

"Três Lágrimas" por Rolando Boldrin - Sr. Brasil - 18/05/14





Rolando Boldrin declama o poema "Três Lágrimas" (Campos Negreiro)


sexta-feira, 24 de abril de 2015

HERANÇA E REENCARNAÇÃO





Mais uma vez o talentoso Rolando Boldrin interpreta de um jeito exclusivo e perfeito, a mensagem de Cornélio Pires (ESPÍRITO) psicografada por Chico Xavier. A poesia, cheia de sabedoria, nos ensina a valorizar a herança das atitudes nobres, de um tesouro que o ladrão não rouba nem a ferrugem consome, já que normalmente heranças envolvendo bens materiais acirram ânimos na disputa separando,ao invés de reunir, familiares e parentes.




quinta-feira, 23 de abril de 2015

Brasileirinho - Grandes Encontros do Choro




Hoje, 23 de abril, é o Dia Nacional do Choro. A data inserida no nosso calendário foi inspirada no aniversário de Pixinguinha, considerado o “pai dos chorões”, através de projeto aprovado pelo Senado Federal, proposto pelo então senador do Rio de Janeiro, Artur da Távola.
A “gestação” do choro, inicialmente não como gênero musical, mas como maneira de tocar, surgiu por volta de 1870 – há historiadores que apontam 1845 – na cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro. Segundo o maestro Batista Siqueira, “os cavaquinistas aprendiam uma polca – música europeia importada pelo Brasil – de ouvido e a executavam para que os violonistas se adestrassem nas passagens modulatórias, transformando exercícios em agradáveis passatempos”.





Dia de São Jorge



A existência do popularíssimo são Jorge, por vezes, foi colocada em dúvida.
Talvez porque sua história sempre tenha sido mistura entre as tradições cristãs e lendas, difundidas pelos próprios fiéis espalhados entre os quatro cantos do planeta.
Contudo encontramos na Palestina os registros oficiais de seu testemunho de fé.
O seu túmulo está situado na cidade de Lida, próxima de Tel Aviv, Israel, onde foi decapitado no século IV, e é local de peregrinação desde essa época, não sendo interrompida nem mesmo durante o período das cruzadas.
Ele foi escolhido como o padroeiro de Gênova, de várias cidades da Espanha, Portugal, Lituânia e Inglaterra e um sem número de localidades no mundo todo.
Até hoje, possui muitos devotos fervorosos em todos os países católicos, inclusive no Brasil.
A sua imagem de jovem guerreiro, montado no cavalo branco e enfrentando um terrível dragão, obviamente reporta às várias lendas que narram esse feito extraordinário.
A maioria delas diz que uma pequena cidade era atacada periodicamente pelo animal, que habitava um lago próximo e fazia dezenas de vítimas com seu hálito de fogo.
Para que a população inteira não fosse destruída pelo dragão, a cidade lhe oferecia vítimas jovens, sorteadas a cada ataque.
Certo dia, chegou a vez da filha do rei, que foi levada pelo soberano em prantos à margem do lago.
De repente, apareceu o jovem guerreiro e matou o dragão, salvando a princesa.
Ou melhor, não o matou, mas o transformou em dócil cordeirinho, que foi levado pela jovem numa corrente para dentro da cidade.
Ali, o valoroso herói informou que vinha da Capadócia, chamava-se Jorge e acabara com o mal em nome de Jesus Cristo, levando a comunidade inteira à conversão.
De fato, o que se sabe é que o soldado Jorge foi denunciado como cristão, preso, julgado e condenado à morte.
Entretanto o momento do martírio também é cercado de muitas tradições.
Conta a voz popular que ele foi cruelmente torturado, mas não sentiu dor.
Foi então enterrado vivo, mas nada sofreu.
Ainda teve de caminhar descalço sobre brasas, depois jogado e arrastado sobre elas, e mesmo assim nenhuma lesão danificou seu corpo, sendo então decapitado pelos assustados torturadores.
Jorge teria levado centenas de pessoas à conversão pela resistência ao sofrimento e à morte.
Até mesmo a mulher do então imperador romano.
São Jorge virou um símbolo de força e fé no enfrentamento do mal através dos tempos e principalmente nos dias atuais, onde a violência impera em todas as situações de nossas vidas.
Seu rito litúrgico é oficializado pela Igreja católica e nunca esteve suspenso, como erroneamente chegou a ser divulgado nos anos 1960, quando sua celebração passou a ser facultativa.
A festa acontece no dia 23 de abril, tanto no Ocidente como no Oriente

Roberto Luna - Serenata do adeus (1958)

Roberto Luna - Castigo

Amo Brasília.

                                                             


                                              Foto: Ricardo Stuckert

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Simplicidade e beleza








Há encantos na vida em que a verdade e a simplicidade são o melhor artifício do mundo.

                                                    (Jean de la Bruyere)