terça-feira, 24 de junho de 2014

Desenhando destinos




Desenhando Destinos

Meus caros alunos de Psicologia e Escola,

 Acordei em mim a palavra saber e a trouxe para dar de presente a vocês.
Saber faz-me pensar em sábio, sabedoria, vivência...
Saber não está contido somente nos livros ou na escola.
Saber se acumula! (Não gostei dessa palavra.) Acumular parece algo difícil de carregar, pesado.
Saber é flor que colore a vida vai virando frutos e os frutos se multiplicam, amadurecem, ficam doces, saborosos.
Saber e sabor confundem-se com o riso, com a lágrima, com o nascer do sol, com o pôr do sol...
Saber é sabor de beijo, de desejo. Saber e sabor se descobrem no luar, na chuva, no frio, no desafio.
Saber não pode ser fechado no quarto escuro da vaidade ou do egoísmo. O saber deve  servir para fazer o sábio mais feliz e que ele possa fazer o outro mais feliz.
Essa palavra que acordei em mim e entreguei a vocês,deseja encontrar abrigo em outros corações.
Os sábios florescem caminhos, desenham destinos.
Meus amados,  acordem em vocês outras tantas palavras e caminhem presenteando pessoas ao longo do caminho. Palavras que cruzem rios, mares e um dia chegarão ao lugar mais nobre e sublime a que se pode chegar: na alma, na vida daqueles que cruzam nosso caminho.
É esse o objetivo da vida... Cada um de nós devemos  ser portador da palavra que há de  transformar o destino e desenhar novos caminhos, dentro das tarefas que nos cabe desempenhar. ensinar e aprender.
A  arte de educar.

Meu afeto,


Rosa Maria 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça seu comentário abaixo: