segunda-feira, 15 de abril de 2013

EDUCAÇÃO E SOCIEDADE


EDUCAÇÃO E SOCIEDADE: BREVE RESUMO SOBRE AS VERTENTES FILOSÓFICO- POLÍTICAS

Conforme Luckesi (1994), as vertentes filosóficas e políticas que buscam entender o sentido da educação na sociedade se constituíram ao longo da prática educativa e norteiam o sentido de educação, bem como o direcionamento da ação educativa. São elas: A tendência redentora, a tendência reprodutivista e a tendência transformadora.

Segundo ele, a tendência redentora, que tem como legítimo representante o teórico Comênio, concebe a educação o significado e a finalidade de adaptar o indivíduo ao seu meio social. Nesse sentido, uma educação redentora seria aquela na qual a prática educativa serve, apenas, para reforçar os laços sociais, objetivando garantir a perfeita integração do indivíduo à sociedade. Contudo, essa é uma forma ingênua e não crítica de compreender a relação entre educação e sociedade, visto que a educação interfere absoluta nos destinos e comportamentos de toda a sociedade.

A tendência reprodutivista, é vista por Luckesi, como aquela que interpreta a educação como uma instância a serviço da sociedade. Como representante dessa vertente tem o teórico Althusser, que estudou o papel da escola como um dos aparelhos do Estado. Segundo esse teórico, a escola é o instrumento criado pela sociedade para reproduzir ideologias, conduzir a aprendizagem dos saberes, como também moldar comportamentos compatíveis com os interesses ideológicos do Estado. Embora crítica do ponto de vista do sentido da educação na sociedade, essa perspectiva não aponta caminhos ao educador, senão, o da submissão aos interesses ideológicos dos que detém o poder político-social.

Já a tendência transformadora, é apontada por ele como uma perspectiva filosófico-política crítica e, compreende a educação como mediadora de um projeto social. Os teóricos dessa tendência, como Dermerval Saviani, nem negam que a educação tem papel ativo na sociedade, nem recusam reconhecer os seus condicionantes histórico-sociais. Contrariamente, consideram a possibilidade de agir a partir das condições sociais, objetivando as transformações a que se propõe a sociedade. Nesse cenário, a educação é interpretada como uma instância dialética que serve a um projeto, a um modelo, a um ideal de sociedade, seja esse projeto conservador, transformador ou democrático.

Luckesi ainda pontua que tendo compreendido essas vertentes, importa ao educador, refletir criticamente e escolher qual a tendência que melhor conduzirá o seu trabalho pedagógico.

Referência:
LUCKESI, Cipriano. Filosofia da educação. São Paulo: Cortez, 1994.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça seu comentário abaixo: