terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Biblioteca Nacional homenageia centenário de Jorge Amado





O público poderá conhecer um pouco mais de um dos escritores mais importantes da literatura brasileira através de manuscritos, fotografias e documentos. Em homenagem ao centenário de Jorge Amado, a Biblioteca Nacional, através do Setor de Manuscritos, promove, até o final de fevereiro, uma mostra em homenagem ao autor.

Com cerca de 30 peças em exposição, o público poderá conhecer um pouco mais sobre uma das maiores figuras da literatura brasileira através de manuscritos, livros e fotografias que compõe o acervo da BN. Dono de uma obra extensa e mundialmente conhecida, Jorge Amado é autor de 23 romances, memórias, contos, biografias e obras infantis. Além disso, grandes composições da literatura brasileira como “Mar Morto” (1936), “Capitães da Areia” (1937), “Gabriela, Cravo e Canela” (1958), “Dona Flor e Seus Dois Maridos” (1966), e “Tieta do Agreste” (1977), são de sua autoria.

Jorge Amado, que completaria 100 anos em 10 de agosto de 2012, é o escritor brasileiro que teve maior número de obras adaptadas para a televisão, e um dos autores mais traduzido no exterior. Seus livros foram estão em mais de 55 países, em 49 idiomas, transcritos também em braille e em áudio para cegos.

Com entrada franca, a mostra ficará aberta ao público no 2º andar da BN com visitação disponível de segunda a sexta de 9h às 20 horas, sábado de 9h às 17 horas e domingos e feriados de 12 às 17 horas.

2 comentários:

Moacir Moa disse...

Como é gostoso o jeito de narrar do amado Jorge. A forma pitoresca que ele veste por dentro e por fora seus personagens.

Merecida homenagem.

rosadaserra disse...

Bom dia, Moacir!

Um autor que deixou em livros a história, a vivência, do povo brasileiro.

Amo, Amado...

Postar um comentário

Faça seu comentário abaixo: