sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Medo da solidão.

O apego, sob o disfarce de amor excessivo, é uma demonstração de insegurança ou de medo da solidão.
É importante amar sem apego por isso é necessário estar convicto de que:
- Ninguém é dono de ninguém, a não ser de si próprio. Amigos vêm e vão, assim como qualquer romance pode acabar. Nenhum relacionamento tem garantia de eternidade, a não ser o nosso, com nós mesmos.
- Tratemo-nos com absoluto carinho e respeito, porque a única pessoa que temos certeza que sempre estará com conosco até o nosso último suspiro nesta vida sou eu mesma.
-Quanto mais tentamos controlar a vida de outra pessoa, mais ela escapa de nosso controle.
- Não há nada mais degradante do que se apegar a pessoas que não nos querem bem ou que nos machucam a alma.
- Não adianta ficar segurando o amor dos outros, porque amor não se compra e não se prende, amor se conquista e se cultiva. Como? Sem pressão nem cobranças, e sim com companheirismo, amizade, confiança.
- Praticamos o desapego quando aprendemos a voltar nossos olhos e nosso coração para a pessoa mais especial da nossa vida: nós mesmos!
Dessa forma, libertemo-nos dessa prisão emocional chamada apego e permitamos a nós mesmos viver intensamente o presente. Deixemos o tempo correr e abramos para novas e maravilhosas experiências.
E lembremos sempre que, independente de nossa vontade, a vida é feita de ganhos e perdas. Se tivermos que perder, aceitemos nossas perdas e apeguemos somente a algo que ninguém pode tirar de nós: a lição!