terça-feira, 25 de maio de 2010

Palavras de Sabedoria

Bateu saudade das frases do Barão de Itararé, personagem-pseudônimo criado pelo jornalista Apparício Torelly (1895-1971), gaúcho, radicado no Rio de Janeiro. Humorista de invejável talento deixou-nos máximas através de frases geniais que misturavam sagacidade, ironia, irreverência, protesto, ideal e muita sabedoria popular.

O Barão era um crítico mordaz do comportamento humano. Um intérprete analítico das variadas linguagens e expressões utilizadas pela sociedade. Ele insistia em contrariar a ordem estabelecida tida como padrão a ser seguido. Era, sem dúvida, um dos bravos combatentes da hipocrisia.

Assim como Itararé, tantos outros deixaram frases emblemáticas. Existem também as anônimas. Enfim, uma gama infinda de conhecimento traduzida em poucas palavras que contemplam a existência humana. Óbvio, e nesse sentido é muito bom, que outras tantas frases serão criadas, tanto por literários, poetas, políticos, celebridades e gente do povo. É evidente que existem os pretensiosos que criam e vociferam metáforas de gosto discutível, contando com os aplausos dos áulicos prontos a reverenciar patacoadas, bem como lampejos de alguma inspiração. É como Nero, que cantava mal e mal, tocava lira para a plateia de súditos, obrigados a ovacioná-lo. Num desses concertos, Roma foi incendiada.

Bom, deixemos de lado as parvoíces, o tempo se encarrega de torná-las medíocres. Exemplo: “se a Terra fosse quadrada ou retangular, não haveria problema; como ela é redonda temos de passar embaixo da poluição que é produzida a 14 mil km”. Esta pérola foi dita recentemente para explicar os problemas climáticos que o planeta está sofrendo.

Voltemos ao talento de Itararé, que, embora tenha falecido solitário aos setenta e cinco anos, nos deixou belas companhias de seus pensamentos, que servem como reflexão para o tempo que vivemos. Do repertório do Barão, selecionei: * Dizes-me com quem andas e eu te direi se vou contigo. * Este mundo é redondo, mas está ficando muito chato. * De onde menos se espera, daí é que não sai nada.* O feio da eleição é se perder. * O tambor faz um grande barulho, mas é oco por dentro.

Dias atrás, vi entrevista do escritor e poeta Ferreira Gullar. Ele disse que uma das frases que mais lhe marcaram é de autor ignorado. Acho que cairia muito bem em Barão de Itararé: * Eu não quero ter razão, eu quero ser feliz.

Um comentário:

ideiasepalavrasnossas disse...

"De onde menos se espera, daí é que não sai nada"...
É por isso que ando cheia de esperanças.
Se não esperar, acreditando de verdade, não sai nada mesmo:)
Beijão,
Cida dos Santos.

Postar um comentário

Faça seu comentário abaixo: