sábado, 1 de maio de 2010

A vida não é um conto de fadas



O amor é o sentimento que dá sentido a nossa vida, uma vez que para vivermos bem e sermos felizes necessitamos de nos relacionar com o outro.
O primeiro amor que conhecemos é o amor da família. Essencialmente, o amor da mãe. Depois vem o relacionamento afetivo. A paixão. Sentimento que nos arrebata e nos faz sonhar com o príncipe encantado, com uma história de amor cheia de encantamento e de felicidade perene. Um relacionamento intensamente amoroso, terno, belo e romântico. Em resumo: sem problemas.
É extremamente doloroso perceber que não é exatamente assim que acontece. A maturidade nos faz entender, à duras penas, que iniciar um relacionamento pode até ser fácil. Difícil será mantê-lo. Manter um relacionamento saudável tem tudo a ver com escolha de nossas próprias atitudes diante das naturais dificuldades que surgem ao longo do caminho. Por mais que nos identifiquemos com o ser amado, em relação aos gostos e preferências. Sei hoje, que ninguém é igual a ninguém e são as diferenças que fazem com que a arte de relacionar com o outro se transforme em um desafio deliciosamente interessante.
Infelizmente, não aprendemos a ser sinceros. Não aprendemos a dizer “não”.Temos medo de enfrentar a verdade. De olhar nos olhos do ser amado e dizer que estamos tristes, ou que, nos perdoe por alguma palavra dita de mau jeito. O que é pior: temos imensa dificuldade de perdoar. E queremos ser perdoados a todo instante.
Acumulamos nossas mágoas e às vezes, desastrosamente, tomamos atitudes impensadas de agressão física, quando não, dissimulamos que “está tudo bem” e buscamos na traição a saída para o sufoco da vida a dois. Uma vida de amor é trocada por uma vida de ilusão. Muito importante, na arte de viver melhor, é lembrar que quando escolhemos um determinado comportamento, estamos também escolhendo as conseqüências desse comportamento assumido. Precisamos desenvolver nossa capacidade de enxergar o outro além da aparência, e estarmos convencidos de que nós também erramos e também magoamos.
O que morre junto com o relacionamento é o fogo da paixão. O amor não acaba. Aquele arrebatamento inicial se transforma, com o tempo, em ternura, compreensão, tolerância e compaixão. E claro, que o desejo sexual há de ser alimentado e vivido com toda intensidade. E isso não é fantasia, é real. Tudo o que sempre sonhamos pode se tornar realidade. É possível viver o amor em toda sua poesia e encantamento, sem estar em um conto de fadas, ou na pele dos mocinhos e mocinhas dos filmes românticos. Nossa história é escrita com palavras e gestos, sorrisos e olhares, uma tarefa prazerosa de aprender a ser e aprender a viver. Viver com amor e por amor.
A vida não é um conto de fadas,mas é muito mais intensa e bela que qualquer obra de ficção.

Rosa Maria Olimpio

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Faça seu comentário abaixo: